Crítica de CASA DE CAMPO (in Portuguese)

0
6

2.204666

“Qual é a sensação de ser bonita todos os dias?”, pergunta Susie Keegan, interpretada por Sarah Steele (Spanglish).

“Só consigo ver meus defeitos”, responde Nell McNally, interpretada por Kate Jennings Grant (Amor e Outras Drogas).

“Faça-me um favor: na próxima vez que você for convidado à minha casa, não flerte com outra mulher sob o mesmo teto, é rude”, diz Anna Patterson–Blythe Danner (Will & Grace)– para Michael Astor–Daniel Sunjata (O Diabo Veste Prada).

É verão em Berkshires, Massachussetts, onde a atriz de sucesso Anna Patterson vive com sua neta, Susie, e seu filho Elliot Cooper (Eric Lange). Sua casa é uma linda casa no estilo Shingle, (graças ao cenário maravilhoso de John Lee Beatty), onde, apesar do terrível abuso de álcool e drogas de Elliot, a vida é tranqüila, até que numa tarde de sexta-feira…

Anna encontra-se com o ator super famoso Michael Astor em um mercado local de alimentos e o convida para ficar em sua casa por um dia ou dois, porque a casa dele ainda não estava pronta para morar. Walter Keegan (neto de Anna e pai de Susie) também está de visita à família por alguns dias antes de voltar para Los Angeles. Ele é um diretor de cinema muito bem sucedido. Desta vez, porém, ele está acompanhado de uma jovem de aparência deslumbrante e com a qual ele acaba de ficar noivo: Nell McNally (Kate Jennings Grant). Para a família, o que é chocante sobre a nova noiva é que Walter tinha perdido a esposa há cerca de um ano, e ele já precisar de uma substituta. Como sua filha Susie vai reagir? E quanto ao maluco Elliot, que conhecera Nell vários anos antes, e ainda tem uma queda por ela? E então, o que acontece quando o bonito e charmoso Michael se encontra com a linda Nell sozinhos na sala de estar em uma noite de tempestade, no escuro, devido a um apagão momentâneo?

É uma história de relações complexas e ciúme!

Casa de Campo é um texto maravilhoso, escrito por Donald Margulies, e está sendo apresentado no Teatro Samuel J. Friedman Theatre, na Rua West 47th. O elenco é formidável. O público aplaude quando a magnífica Blythe Danner entra em cena. Atuação soberba a de Sarah Steele, e Eric Lange é particularmente esplêndido. O cenário é magnífico, retratando muito bem as tempestades comuns em Berkshires no verão. É uma temporada curta. As prévias começaram em 09 de setembro, e a noite de estréia é no dia 02 de outubro, com última apresenatação no dia 23 de novembro. Prepare-se para rir bastante. Para os freqüentadores de teatro, esta comédia é obrigatória.

JPCOUNTRYHOUSE-articleLarge

country-house

CRITICA TEATRAL por Lucas Eller, Nova Iorque

TRADUÇAO por Tony Giusti, São Paulo